SNC

Você conhece o Pept1?

Você conhece o Pept1?

O trato gastrintestinal é um tubo onde ocorrem os processos de digestão e absorção. Hoje trataremos de um transportador que faz parte da absorção das proteínas. É possível fazer analogia que a proteína é uma espécie de “parede” e para ser absorvida  pode acontecer na forma de aminoácido (um “tijolo”), ou dipeptídeos (dois “tijolos”), tripeptídeos (3 “tijolos”), ou oligopeptídeos (mais de três “tijolos”).

Ao mastigar, o alimento é reduzido em partículas menores. No estômago, as proteínas são desnaturadas pelo ácido clorídrico e sofrem ação da pepsina que faz hidrólise (quebra), produzindo aminoácidos, di e tripeptídeos. As peptidases (enzimas que hidrolisam as proteínas, para que fiquem menores), fazem isso na borda em escova e então, após esse processo, serão absorvidos no jejuno (porção mediana do intestino). Esse mecanismo parece exercer um papel menor ao se comparar aos transportadores de oligopeptídeos, responsáveis por liberar dipeptídeos no lúmen intestinal. Dois carreadores de di e tripeptídeos são conhecidos, sendo eles, o PepT1 e o HPT1.

Falaremos então do PepT1. Encontrado no jejuno, duodeno e íleo, é o principal mecanismo de absorção intestinal de quaisquer di e tripeptídeos, além de alguns microorganismos, e fármacos. No jejuno, está em maior quantidade nas células epiteliais absortivas, ou seja vilosidades. O PepT1 é uma proteína grande, capaz de transportar di e tripeptídeos, mas não aminoácidos e peptídeos com mais de três resíduos (“tijolos”). Esse transporte acontece do lúmen para dentro das células intestinais. Eles são co-transportados junto com prótons (H+), e dependem do gradiente eletroquímico de H+, sendo chamado de transporte ativo terciário. Para que esse transportador seja expresso, é importante que o meio extra celular esteja mais ácido que o meio intracelular.

Os dipeptídeos e tripeptídeos são mais eficientemente absorvidos do que os aminoácidos livres, que por sua vez, são mais absorvidos do que os oligopeptídeos. Isso ocorre pois enquanto os aminoácidos livres são rapidamente absorvidos apenas na porção proximal do intestino delgado, os dipeptídeos e tripeptídeos são bem absorvidos tanto na porção proximal quanto distal do intestino delgado. Além disso, a velocidade desses pequenos peptídeos costuma ser cerca de dez vezes maior e existe o fato de  alguns aminoácidos competirem pelo mesmo carreador, gerando inibição competitiva da absorção, e são rapidamente saturáveis. Essa forma de transporte justifica porque alguns peptídeos chamados de bioativos conseguem exercer suas funções em nosso corpo, pois eles conseguem chegar à nossa corrente sanguínea e atingir os órgãos alvo.

Este texto foi escrito por Caroline Lima, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido.
Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br
Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor.
Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

 

Featured Image Featured Image

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *