SNC

Fisiculturismo e Nutrição

Fisiculturismo e Nutrição

O fisiculturismo ou bodybuilding é o esporte do culto ao corpo,  preza-se o desenvolvimento muscular (hipertrofia) de forma simétrica e harmoniosa. Em um campeonato de fisiculturismo os atletas posam em um palco e são julgados por uma equipe de árbitros que irão avaliar o condicionamento físico de cada indivíduo por meio de comparações entre eles. Diferente do powerlifiting que é um esporte exclusivamente de levantamento de peso e não leva em consideração a construção de um corpo estético, mas sim de um corpo estruturalmente forte.

A essência do fisiculturismo é o treinamento com sobrecarga, aliado a dieta adequada e descanso correto. Os ginásios de musculação proporcionam o ambiente ideal para a realização dos treinamentos com peso, tem-se tornado cada vez mais comum a aderência das pessoas a esse estilo de vida. A popularização do fisiculturismo abrange pessoas que desejam uma vida de atleta e aquelas outras que praticam o esporte por outros motivos, saúde, lazer, socialização, estética e etc.

É fato que esse esporte tem uma relação íntima com a nutrição, até porque para haver hipertrofia não basta apenas sinalizar o corpo por meio do treinamento, mas também é necessário fornecer os substratos adequados por meio da alimentação. Por isso os fisiculturistas possuem três fases distintas em períodos diferentes no ano:

1. Off season ou bulking, momento onde o objetivo é construir o máximo de massa magra possível, a dieta se torna hipercalórica sem muitas restrições. Sua duração é de em média 4-6 meses.

2. Cutting ou pre-contest, período em que o atleta passa por restrição calórica, no intuito de diminuir o percentual de gordura, com manutenção da massa magra adquirida no bulking. Pode durar entre 12 e 14 semanas à depender do condicionamento do indivíduo.

3. Desidratação (opcional), é mais comum caso o indivíduo participe de competições, é uma fase que dura apenas a semana que antecede o campeonato e é realizada para diminuir a retenção de líquido no corpo, para maior definição e assim deixar a mostra a musculatura em palco. Lembrando que é necessário cautela nesta estratégia, não é sempre recomendada e mesmo quando feita de forma “prudente”, o corpo fica muito debilitado.

Diante dessas três fases do atleta, o perfil da estratégia nutricional varia de acordo com cada uma delas. Quando o foco é ganho de massa, é necessário um saldo energético positivo, neste caso os carboidratos ganham destaque e sua ingestão aumenta, o que justifica o possível ganho de gordura nesta fase. Já na redução do percentual de gordura, quem ganha destaque são as proteínas, sua ingestão aumenta para evitar a perda de massa muscular perante uma restrição calórica (dos carboidratos e gorduras, principalmente saturadas). A desidratação é caraterizada pelo aumento exagerado do consumo de água (8-10L de água), neste caso pretende-se eliminar líquido retido através da urina,  durante os primeiros dias da desidratação a restrição de carboidratos e sódio se torna ainda maior.

Diversos suplementos alimentares podem ser utilizados visando benefício na performance e saúde do praticante de musculação. Estudos que pesquisaram os produtos de suplementação mais utilizados por atletas de fisiculturismo, destacaram os shakes proteicos (Whey Protein), aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA), glutamina, multivitamínicos minerais, ômega 3 e creatina.

O indivíduo em fase de bulking pode se beneficiar com os shakes proteicos pelo alto valor biológico do Whey Protein, perfeito para recuperação pós treino e sinalização para hipertrofia. A creatina beneficiaria no aumento do volume muscular e no ganho de força. A glutamina atua na saúde intestinal, permiteo melhor seletividade de nutrientes nesta fase onde há grande ingestão de alimentos. Os hipercalóricos podem ser práticos para fornecer mais calorias.
Em cutting a utilização de BCAAs seria interessante pelo efeito protetor da musculatura, efeito observado também com suplementos a base de HMB. Os shakes proteicos por serem ótimas fontes de proteínas, com baixo teor de carboidrato e gordura, adequando-se facilmente a dietas restritas. O ômega 3, por suas propriedades antinflamatórias, proteção hepática e coronariana, é um bom coadjuvante em estratégias de redução de massa gorda. Os multivitamínicos e minerais são quase que indispensáveis nesta fase, por conta da dieta monótona que restringe muitas fontes importantes de nutrientes, seu uso garantiria a ingestão de grande parte de vitaminas e minerais. Cafeína e suplementos que contenham outros estimulantes, utilizados principalmente pelo efeito termogênico, facilitam a utilização de gordura como substrato energético. Glutamina também assume grande importância quando falamos de cutting (pela maior propensão a redução da imunidade neste período).

No período de desidratação é comum a utilização de suplementos que contenham ervas diuréticas para potencializar a diurese. Geralmente esses suplementos são chás solúveis com extratos de hibisco, carqueja, chá verde, dente-de-leão dentre outros, mas é preciso precaução para que não haja efeitos colaterais.

O fisiculturismo e a nutrição andam unidos em qualquer que seja o objetivo final, portanto o nutricionista é o profissional mais adequado para lidar com a modulação nutricional  de praticantes e atletas.

“Este texto foi escrito por Bryan Stolze, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).”

Featured Image Featured Image
  • logo-snc-3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *