SNC

Colágeno tipo II e dores articulares

Colágeno tipo II e dores articulares

O colágeno é a proteína mais abundante no tecido conjuntivo encontrada ao longo de todo o corpo, como nos tendões, ossos, cartilagem, veias, pele, dentes e músculo, sendo o tipo II o mais presente nas articulações. A partir dos 30 anos, há uma perda de colágeno pelo organismo com cerca de 1% a cada ano. Isto, somado a outros fatores como estresse mecânico, envelhecimento e artrites são as causas principais das dores articulares, levando ao sedentarismo ou absenteísmo, de modo a prejudicar a qualidade de vida. Nesse contexto, como a suplementação de colágeno tipo II  pode ajudar?

Inicialmente, como já mencionado, é interessante entender quais fatores prejudicam a articulação. O primeiro deles é o estresse mecânico – exercícios com muito impacto ou o peso excessivo são contribuintes para o desgaste articular. Ainda assim, o envelhecimento articular traz consigo uma menor hidratação do colágeno levando a menor resistência da articulação. Por fim, a artrite é uma inflamação articular ocasionando em limitação funcional e incapacidade além de frequentes dores.

Geralmente, utilizam-se analgésicos ou anti-inflamatórios não-esteroides para o alívio da dor. Entretanto, quando usado por longos períodos em dosagem elevada, esse tratamento pode resultar em uma série de complicações, como falha renal, doença arterial coronariana, sangramento gastrointestinal, dentre outras. É nesse contexto que o colágeno tipo II têm sido utilizado como um nutracêutico (compostos nutricionais utilizados para tratamento de doenças) para ajudar na regeneração articular sem trazer esses efeitos colaterais.

Sendo assim, como funciona a suplementação? Sua ação é realizada através da tolerância oral – ingestão de uma pequena dose (40mg/dia) estimulando uma resposta imunológica regulatória. De modo geral, após a ingestão há o “reconhecimento” através de células presentes no intestino. Em seguida, uma resposta imunológica regulatória é desencadeada para que haja recuperação da articulação e, desse modo, diminuição das dores, permitindo a realização de atividades como caminhar, agachar, dentre outras.

A partir do entendimento de que sua ação é iniciada no intestino, a suplementação pode ser associada com probióticos ou glutamina para melhoria da saúde intestinal e, portanto, possivelmente maior efetividade da sua ação. A associação com o ômega-3 também é pensada, por conta da sua ação moduladora inflamatória e consequente diminuição de dores e favorecimento da recuperação. Por último, mas não menos importante, a suplementação de colágeno tipo II e suas associações deve ser prescrita e acompanhada por nutricionista para melhores resultados.

Este texto foi escrito por Ramon Cardoso, integrante da equipe de nutrição da SNC-Salvador, baseado em artigos científicos. Todo material utilizado pode ser disponibilizado quando requerido. Se você ficou com alguma dúvida entre em contato conosco pelo e-mail: nutricao@sncsalvador.com.br. Respeite nosso material intelectual. Sempre que usar nossos textos mencione o nome do autor e do site, por favor. Acompanhe-nos nas redes sociais e não perca nenhuma notícia e/ou promoção (busque por sncsalvador).

Featured Image Featured Image

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *